11 fevereiro 2010

Resenha | Star Trek

Versão de J.J. Abrams surpreende pela qualidade e revive série!

Confesso: nunca fui fã de Star Trek. Conhecendo o mundo pop e nerd que gosto, sempre ouvia e lia sobre a série. Mas não sei por qual motivo, nunca me interessei por ela. Assim como J.J. Abrams que falava sempre que tinha a oportunidade, durante a divulgação do filme. Na verdade o meu interesse veio muito pelo fato de o ator Patrick Stewart participar dela (a Nova Geração). E isso só depois de X-Men (o primeiro filme!). Já JJ Abrams conheço desde Felicity (sim, eu gostava da série!) e é claro, depois do estouro de Lost, o mundo inteiro ficou sabendo quem ele é. Não à toa já que o currículo do moço, que conta também com Alias, umas das melhores séries não reconhecidas que já existiram, exala talento e uma visão singular por trás das câmeras e também nos bastidores.

E logo que foi anunciada a versão de Abrams para Star Trek, me interessou o fato de ter a mais nova promessa de Hollywood (que já provou não ser mais promessa!), mexendo em uma série clássica e com fãs tão ferrenhos como são os trekkers. Mas sem nenhum medo de ser feliz, junto com os parceiros de longa data, Alex Kurtzman e Roberto Oci, seguiram o caminho mais improvável mexendo, de forma muito inteligente, com o intocável (até então) início das aventuras de James T. Kirk, Mr. Spock, Leonard McCoy e a U.S.S. Entreprise.


A maior preocupação era agradar não só os fãs da série clássica, mas também atrair aos cinemas o público (que como eu) não conhece toda a mitologia que envolve a série. E que não é nada simples. Resolveram então jogar com as armas que dispunham e assim, uma realidade paralela àquela da série clássica foi criada para que pudessem então ter a liberdade necessárias para equilibrar os elementos clássicos com novos.

Bom, antes de mais nada, faça como eu e entenda melhor sobre os termos e o que é Star Trek aqui, aqui e aqui

Na trama, Spock retorna a esse passado paralelo em fuga de Nero, vilão que busca vingança contra ele e a Federação. Enquanto isso, a tripulação da recém-inaugurada Entreprise vai sendo formada. E cabe a essa tripulação enfrentar o violento Nero.

Com base nisso, o filme segue apresentando (ou reapresentando) os personagens que fizeram a história da TV, com uma série que rompeu barreiras. E o filme de Abrams honra isso. É nitído até para que não-fã como eu, perceber as homenagens que são feitas durante toda a fita. O foco na amizade que vai sendo criada entre os tripulantes talvez seja um trunfo que foi muito bem explorado no roteiro. E a aventura que é muito bem contada, com cenas de tirar o fôlego. Do jeito que sempre faz, Abrams, Kurtzman e Oci equilibram um roteiro inteligente com cenas de ação ousadas e que não agridem a inteligência de ninguém. O peso nos diálogos, a câmera que participa da história. Elementos que são usados para mostrar que por mais intocável que uma história seja, sempre pode-se tentar algo novo.

Todos os personagens secundários tem seu tempo de tela muito bem aproveitado, dando ai oportunidades infinitas para o rumo futuras histórias. O humor que uma hora diverte em situações bacanas, logo é substituído pela tensão e expectativa. E assim vamos nos afeiçoando e entendendo todos esses personagens. É um grande filme e uma diversão que vale o ingresso. Tudo graças também a um elenco que soube utilizar muito bem o roteiro e direção ímpares. Destaque para Chris Pine, em seu primeiro papel de destaque, e Zachary Quinto, que mostrou também não tem só Heroes para mostrar seu talento.

E uma destaque especial para a participação de Leonard Nimoy trazendo todo peso de um personagem tão importante para a história da ficção científica. Os fãs mais hardcore queriam também a participação de Willian Shatner, mas mesmo todo o barulho, não foi possível.

Não digo que me arrependo de não ter conhecido mais a fundo a série antes, talvez foi o momento certo de saber que a U.S.S Entreprise tem ainda muitas viagens a serem feitas. Usando o bordão da série, o "rebot" de Star Trek talvez tenha mostrando outros caminhos onde nenhum homem jamais esteve.

Vida longa e próspera...e que venha o segundo longa dessa nova fase! \\//

FICHA TÉCNICA
Star Trek (Star Trek - EUA - 2009) - 126 min. - Aventura/Ficção Científica
Direção: J.J. Abrams
Roteiro: Roberto Orci, Alex Kurtzman
Elenco: Chris Pine, Zachary Quinto, Simon Pegg, Eric Bana, Karl Urban, Leonard Minoy, Amanda Grayson, Zoe Saldana
Site Oficial: http://www.startrekmovie.com/




Feed
Assine o Feed do Desventuras para acompanhar o blog no seu agregador favorito, ou receba gratuitamente todos os posts por e-mail

Deixe o seu comentário: